Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estrabucha

Aviso: Este blog é dado à parvoeira e raramente, mas muito raramente, falam-se de assuntos sérios.



Segunda-feira, 30.09.13

Bem-vindos à bimbolândia

Nos últimos tempos a minha casa transformou-se numa autêntica bimbolândia. O homem aderiu na semana passada à moda dos tablets. Sim, até à semana passada, a minha casa devia ser das únicas do país em que não existia um tablet, não temos nenhum telemóvel android e o homem não tem facebook, nem nunca irá ter (acho eu).

Como eu dizia, agora temos um tablet, o homem foi buscá-lo na 5º feira e, na Fnac (sim, eu faço publicidade às marcas), o vendedor deu a indicação que não seria preciso carregar o bicho. Chegado a casa o homem começou a ler as instruções, que diziam que o tablet deveria de ir à carga durante 8 horas antes da 1ª utilização.

PARA TUDO!!!

E agora, perguntou-me o homem, o que faço? O vendedor disse para começar a utilizar (então utiliza, disse eu), mas nas instruções diz que tem que ser carregado (então carrega). Perante um dos maiores dilemas da Humanidade (ou pelo menos para o homem deve ter parecido) decidiu telefonar para o meu primo, que percebe destas merdas e que lhe apresentou a conclusão: se diz no manual para carregares então carrega. 

Momento bimbo da semana passada: o homem a olhar para as instruções do tablet, parecia que tinha vindo da santa terrinha e que nunca tinha visto a cidade.

Mas não fica por aqui, não sra.. Aqui a vossa amiga Estrabucha também teve a oportunidade de brilhar à umas semanas atrás. Fomos a uma festa de aniversário, pintei-me, vesti fatiota janota e coloquei acessórios. Na altura de colocar os acessórios no pulso, escolhi um relógio e umas pulseiras.

Entrámos no carro e o homem reparou no relógio e olhou para mim e perguntou-me porque razão eu levava o relógio se este NÃO TINHA PILHA. Pois, o relógio está sem pilha para aí há 1 ano. Porque fica bem, disse eu. O que tu merecias (replicou o homem) era que eu contasse a toda a gente que andas armada em bimba com um relógio sem pilhas. Neste momento e ao ouvir tamanha ameaça, fiz o meu olhar de gato das botas e pedi suplicantemente ao homem para não abrir a boca. 

Conclusão: o relógio continua sem pilha e eu continuo a utilizá-lo.

 

PS: e o tablet que é viciante. Sacana!!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Sigam-me no Facebook

Estrabucha



Podem também estrabuchar aqui

estrebucha@gmail.com


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.